27 dezembro 2016

O ano que eu desejo



No ano que vem, quero fazer um tour em volta do sol de mãos dadas com alguém.

Quero uma companheira de viagem de alma livre e bagagem leve.

Alguém de sanidade mental duvidosa, coração inquieto e olhar atento. Que não seja muito normal, nem muito certinha. Que se perca em livros e se emocione em filmes. E que viaje muito.

Quero tomar um sorvete em uma cidade em que jamais pisei. Comer pratos que nunca experimentei. Quero andar por caminhos novos. Sentar em uma praça em que nunca estive e admirar o meu tempo.

Quero fazer uma declaração de amor em um cenário de filme, escrever muitas cartas sinceras e dar beijos de cinema.

Quero dormir em conchinha e receber mais cafunés.

Quero abraço de criança, apertado e melado de chocolate.

Quero sentar no chão com duas crianças que me chamem de pai e brincar com elas até os três caírem de sono. Quero me exaurir de amor e dormir pesado após perder o sono por eles.

Nem tudo cabe em doze meses, mas eu desejo mesmo assim.

Porque uma vida que vale deve almejar o impossível e porque desejos pequenos não cabem em mim...

Nenhum comentário: