25 março 2008

Cafetinagem brasileira ensina sacanagem a políticos dos EUA

Deu no New York Times, na New York City e pro governador do New York State - O Brasil finalmente começa a exportar um produto abundante e de alto valor agregado, o proxenetismo. Também conhecido como cafetinagem, o proxenetismo nada mais é do que a administração de proxenecas ou proxecas com fins comerciais. Essas verdadeiras minas de ouro jamais receberam a devida atenção dos MBAs de Harvard e coube ao maduro e avançado mercado brasileiro da sacanagem administrar as perseguidas ianques.

O empresariado tupiniquim acertou em cheio ao oferecer seus serviços nos EUA ao ramo irmão da sacanagem, a política. Ao contrário do Brasil, os Estados Unidos ainda separam (oficialmente) a política da sacanagem. O que os proxenetas brasileiros fizeram foi mostrar aos políticos americanos que aquilo que eles fazem com as prostitutas não é muito diferente do que costumam fazer com o povo. O governador de Nova York entendeu bem essa lição, mas o povo não. Enciumada por perder sua posição para prostitutas de luxo, a população corneada pediu a renúncia do governador.

Mas como punir alguém por fazer na privada o que sempre fez na vida pública? Imbuído dessa lógica, o novo governador de Nova York assumiu o cargo abrindo o jogo, “já chifrei, fui chifrado, fiz swing, suruba e furunfei na praia com a Cicarelli”, disse ele em seu discurso de posse. O governador do estado de New Jersey também entrou na onda. Afirmou em coletiva que fez ménage com a própria esposa e o seu motorista particular. A esposa pediu separação e o motorista ganhou projeção e experiência para iniciar sua carreira política.

Graças ao trabalho dos proxenetas do Brasil, a política americana está se tornando mais sincera, menos sisuda e muito mais gozada. O proxenetismo exportado ainda contém mecanismos de auto-perpetuação. Os políticos engravidam as prostitutas que dão à luz novos politiquinhos ainda mais hábeis na arte de sacanear. Eles, por sua vez, crescem e pegam o povo e as prostitutas que embucham e perpetuam a espécie e a pouca vergonha não tem mais fim. Se alguém ainda duvida da eficiência do sistema, há um showroom na América do Sul que funciona há mais de 500 anos! Esqueça o café. Nossa vocação é a cafetinagem!

2 comentários:

Anônimo disse...

Sr.Fábio!
Estive com alguns problemas em meu Pc,nada que não resultasse na mesma coisa que houve com o governador americano.!Fudeu tudo,...mas estando de volta e pedindo desculpas(coisa hipócrita)por haver usado uma palavra que consta no vocabulário de qualquer brasileiro,digo que estas coisas sexuais não dão muito certo na nossa "cautri mãe"porque aqui gigolô tem CIÚME,traficante se VICÍA no produto que vende e prostituta GOZA.
É até no "erro"estamos errados.
Obrigado

JB

Entre a vergonha e a sem-vergonhice disse...

Adorei teu espaço!
Achei por um acaso na net...acho que a Santa Ignorância me guiou os passos..
Um abraço,
Voltarei sempre
Luciana