21 fevereiro 2008

As sete maravilhas da corrupção moderna

Elas podem não ser nenhuma maravilha, mas são nossas e estão pagas e superfaturadas graças ao suado dinheiro de cada brasileiro (com exceção dos que as construíram).

Brasília
O solo sagrado do planalto central brasileiro foi escolhido para assentar a maior metrópole mundial dedicada à corrupção. Superfaturada desde os seus primórdios sob as ordens do faraó JotaKamón, Brasília foi tão bem arquitetada que até hoje nenhum homem honesto conseguiu governar em seus palácios. Concebida originalmente sem esquinas, Brasília não permite jamais que a falcatrua encontre a punição nem que o povo encontre a justiça. Esse verdadeiro patrimônio da humanidade tombado pela Unesco é mantido pelo patrimônio dos brasileiros que vivem na desumanidade.

Prédio do TRT de São Paulo
Construído pelo imperador Lalau, o Liberto, no fim do século XX, essa magnífica obra custou o equivalente a quatro Dubai Al Arab, o hotel mais luxuoso do mundo. Feito em honra ao deus romano Larapius, utilizou mão-de-obra semi escrava com contratos que davam para pagar 532 PhDs de Harvard como mestres de obra. Lalau foi mandado às masmorras por causa da construção, mas permaneceu lá por pouco tempo. Acabou encarcerado em seu próprio palácio de 20 hectares, onde é torturado 24 horas por dia entre uma partida de tênis e uma duchada na Jacuzzi.

O Propinoduto
Orgulho da engenharia brasileira, esse duto levou toneladas de dinheiro vivo do Rio de Janeiro até à Suíça. Fiscais corruptos o projetaram de maneira que ele pudesse ter uma vazão maior que a Bacia do Amazonas. Ao contrário dos oleodutos da Petrobras, o Propinoduto jamais vazou um centavo de seu conteúdo, mesmo atravessando o Atlântico diagonalmente de ponta à ponta. É ou não é de se tirar o chapéu?

O Valerioduto
Obra do conselheiro Marcus Valerius, o Flagelo dos Justos, esse duto alimentou uma multidão de deputados, senadores, ministros e altos funcionários do império durante mais de uma década. Sua mais admirável característica foi o seu gigantesco alcance. Atingiu políticos de todos os partidos sem fazer distinção de cor, credo ou legenda. A obra alimentou diretamente o maior setor comercial brasileiro, o da compra de deputados e senadores.

O Buraco do Serra
Maior canyon urbano do mundo, o Buraco do Serra tornou-se a grande atração turística da cidade de São Paulo. O mais impressionante é que a cratera de 30 metros de profundidade foi feita sem a ajuda de nenhum grama de dinamite. Com isso, o buraco inaugurou uma nova técnica de demolição que, no lugar de explosivos, utiliza um serviço superfaturado, mal fiscalizado e de quinta categoria. Apesar do nome, emprestado do governador da época, a obra foi iniciada pelo antecessor Geraldus Alckmins um especialista na arte de gerar rombos de grandes diâmetros.

O Túnel do Maluf
Todas as vezes que você passar pelo túnel Ayrton Senna em São Paulo, sinta orgulho de ser brasileiro. O metro construído à sua volta custou 50% a mais que o Eurotúnel que passa sob o Canal da Mancha e liga a Inglaterra à França. Só para se ter uma idéia, com o valor dessa megaconstrução sob o Parque do Ibirapuera daria para transformar o Tietê num rio propriamente dito, formado apenas por água e peixes.

O Palace 2
É a única aberração do mundo que virou pó sem a ajuda de um terremoto. Construído no Rio de Janeiro como castelo de areia, o Palace 2 foi vendido como obra de alvenaria sólida com a finalidade de servir de habitação humana. Seu construtor, o deputo-empreiteiro Sérgio Canaya chegou a receber uma proposta de contrato com a multinacional Al Qaeda interessada na técnica de Canaya que não utiliza aviões na demolição de torres.

4 comentários:

Juliana disse...

Muito bom Fabio! rs
Ju Schober

Anônimo disse...

Como sempre na veia!!!E com uma grande vantagem,desta vez veio em doses seguras para a absorção pelo ser "humanus burrus",tipo de criatura que habita nosso País.Vou já tratar de piratear seu texto,sem a preocupação de overdosar alguém.Posso agora seguir a" grande orientação"de algum político profissional nosso,que inventou a venda fracionada de medicamentos,sem o mêdo de acabar com os neurônios de algum desavisado brasileiro.Pois como o sr sabe temos que mantê-los vivos e com alguma saúde,para que possam fazer uso do "sagrado direito do voto"e assim perpetuar outra éspécie que aqui também habita,o "políticus curruptos"(grande concentração em brasília),tipo de verme que se alimenta do sangue e alma do "brasileirus ignorantus",uma subespécie que insiste em continuar existindo somente com o intúito de servir como alimento para o "políticus"fechando assim a cadeia alimentar.
-----------------------------------Agora saindo do latim,(sem pular para a latrina)parabéns novamente sr. Fábio,lhe desejo muita saúde e fígado para que continue a nos brindar com seus belos e certeiros textos.
Obrigado JB(Porto Alegre-RS)

pessoana disse...

Aaaahhh, finalmente um ponto de encontro entre os nossos países, Fábio!!!!
Vou ver o Gilberto Gil em Abril (rima e tudo)!
Tens recado para o ministro?

pessoana disse...

Olha, tens trabalho de casa lá na minha casa!:-)