21 novembro 2007

A Divindade Judiciária

Queridos leitores do Diário da Tribo,

Uma juíza de uma vara do trabalho da Paraíba fez constar em uma de suas sentenças que o juiz está situado “em um lugar especial que o converte em um ser absoluto e incomparavelmente superior a qualquer outro ser material”.

Como não me atrevo a contrariar divindades, afirmo que a meritíssima tem razão tão absoluta quanto o poder nela imbuído. E envio abaixo a minha primeira sentença que será proferida assim que eu me tornar um magistrado. (Por que eu não teria também o direito de galgar os degraus do Olimpo?)

Ei-la e que seja afixada em todos os Fóruns, Tribunais e Clínicas Psiquiátricas de todo o planeta:

A Divindade Judiciária
Fábio Reynol
http://diariodatribo.blogspot.com

Um juiz jamais é acometido de frieira, furúnculo, lombriga, bicho geográfico nem outras enfermidades parasitárias que assolam a ralé dos seres mortais que está bem abaixo de sua condição de magistrado. Tampouco encravam as unhas de seus dedões judiciários.

Um juiz jamais exala mau odor por mais que negligencie o uso de desodorantes, sabonetes e todo o arsenal cosmético necessário, senão obrigatório, àqueles a quem ele julga. Pela mesma linha, um magistrado jamais apresenta chulé, uma vez que seus meritíssimos pés estão bem acima das cabeças da patuléia que depende de seus pareceres.

Todo juiz é descendente dos elfos de Valfenda, possui uma aura bioluminescente e uma linguagem própria. Tão própria que muitas vezes é legado ao próprio juiz, e somente a ele, entender o seu inefável significado. A prosopopéia do magistrado soa como sinos musicais enquanto sua boca exala o aroma de alfazema e lírios europeus. O DNA élfico também produz sedosidade em seus cabelos tornando os xampus supérfluos e a caspa inexistente no couro capilar da magistratura.

O juiz não habita construções de alvenaria, mas o Olimpo, de onde enxerga por entre as nuvens a iniqüidade humana partilhando com seus pares o chá da sabedoria e os biscoitinhos do discernimento. Qual Moisés portando as tábuas da lei, o magistrado é o portador oficial da vontade divina sobre a terra a qual lhe deve adoração, louvor e submissão sob pena de ter a ira divina (e judiciária!) sobre a própria cabeça.

Juízes não conhecem a morte, prerrogativa reservada aos mortais. Ao se cansarem desta vida, simplesmente agendam uma transferência que é feita por querubins (anjos estão aquém de sua glória) para o tribunal celestial onde, em vez de serem julgados como as demais almas, formam uma supremíssima corte a qual lado a lado com Deus (quando não um pouco acima dele) julgam os que não tiveram o dom de nascer magistrados.

Quanto à sentença? Bem, os querelantes que se entendam porque esta Divindade Judiciária não pode desperdiçar seu preciosíssimo tempo com questiúnculas que atormentam os reles mortais.


Juiz Recém-empossado por Zeus

6 comentários:

mauricio disse...

tendo eu unhas encravadas desde a adolecência, posso entender que, tornado-se magistrado jamais gastarei meu dinheirinho novamente no podólogo?!!! lindo isso!

Parabéns meu caro! Adorei o texto!

Fábio Reynol disse...

Mau, se todos fossem magistrados, os podólogos morreriam de fome e o mundo seria uma pilha de processos empacados. Continue no caminho da luz!!!
Abraço!

Anônimo disse...

Como sempre,fostes magistral!!
Se algum dia estivermos no mesmo tribunal,não te espantes....estarei ou servindo cafezinho,ou sendo condenado por adoração.
Ps: (Continuo fazendo a maior propaganda de teus textos,....sei que não é preciso mas faço por gosto.)
JB

Anônimo disse...

Fábio,se possível faça algum comentário sobre o quase fato de a copa do mundo(2014),ser realizada num País onde gente mora e come no lixo(literalmente),onde não se tem verba para pagar melhor aos professsores e policiais.
Como pode a mídia nacional não ver esta dicotomia??
Vai....manda bala,isto é...manda tuas palavras como projéteis,eu de minha parte me encarrego de distribuir por aqui.
Obrigado amigo.
JB

Fábio Reynol disse...

Sr. JB ainda falta muito preu atingir o Olimpo! E preciso de propaganda, sim, para atingir o meu décimo terceiro leitor! Se alguém souber do telefone do Guanaes, me envie (o Duda me deixou na mão depois da CPI!)
Quanto à Copa Tupiniquim creio que ainda dará muito pano para a confecção do Sr. Ricardo Teixeira. Fique de olho no Diário da Tribo e de ouvido ligado no Galvão Bueno e prepare-se para a overdose de besteiras! Grande abraço!

Fábio Reynol disse...

Sr. JB ainda falta muito preu atingir o Olimpo! E preciso de propaganda, sim, para atingir o meu décimo terceiro leitor! Se alguém souber do telefone do Guanaes, me envie (o Duda me deixou na mão depois da CPI!)
Quanto à Copa Tupiniquim creio que ainda dará muito pano para a confecção do Sr. Ricardo Teixeira. Fique de olho no Diário da Tribo e de ouvido ligado no Galvão Bueno e prepare-se para a overdose de besteiras! Grande abraço!